Tudo parecia um sonho, tinha alcançado o meu maior objetivo, todos nesse país me conhecia, e antes de tudo conheciam minhas ideias, era inacreditável pensar que pessoas confiavam em mim, acreditavam no meu potencial e me presentearam com o voto. No meu sonho existiam várias pessoas divididas, umas comemoravam comigo, outras estavam segurando uma foice prontas para cortar minha cabeça na primeira oportunidade. Acordei assustada, porém feliz, meu nome era o mais falado em todo país, eu estava nos jornais e tele-jornais, na televisão e na rádio eu era unânime. Enfim, tinha sido eleita presidente da República, o cargo mais importante do país a mim foi destinado.
O dia poderia parecer normal, comum mas não era. Era o dia depois da vitória, agora eu tinha responsabilidades, minha vida se resumia a partir de agora, em um país chamado Brasil. Toda a campanha tinha valido a pena, todas as caminhadas, os abraços, os beijos, os debates, os discursos. Tudo isso será recompensado. Não há como definir o que sinto nesse momento, existem milhares de pessoas que me deram um voto de confiança, porém com elas sempre terá uma tinta preta no bolso, prontos, para passa-lo no rosto e sair em protesto, por algum erro meu. Eu não posso errar, vidas dependem de mim. Agora eu preciso zelar por elas. 
Quatro anos da minha vida, deverá ser entregues para melhorar a vida do então, meu povo. São quatro anos que poderão se estender para oito, dependendo de minha entrega. Tenho plena consciência de tudo que preciso mudar, agora é só colocar a mão na massa mesmo. Todos os jornalistas queriam agora uma entrevista comigo, pensando nisso, respondo algumas perguntas óbvias em meu pensamento. Poderia dizer que meu maior medo é o de perder a humildade, esquecer minhas origens, meus valores. Se perguntarem com que governarei meu país, diria que com ética e com respeito a todos os brasileiro, colocando sempre as pessoas em primeiro plano e não interesses de partidos políticos.
Agora, não tem mais como voltar atrás, já dei minha cara a tapa e vou trabalhar para que ninguém queira bater. Todo esse sentimento é novo, porém eu sei que tenho total capacidade de lidar com isso, eu tenho toda um história com a política e não entrei na mesma para ser mais uma e sim a diferença. No dia depois da vitória, percebo que nada será fácil, problemas existem, mas para serem resolvidos. No país cheio de interesses eu tenho apenas um, o de mudança.

Era isso que eu queria que o próximo presidente sentisse ao ser eleito.

8 Comentários

Winny Trindade disse...

Pode crer, isso é o que todos nós queríamos que qualquer candidato sentisse.

Abraço meu.

Kaline disse...

pois é.. também queria que o próximo presidente tivesse esse pensamento honesto e humilde que você tem.
beijos

Juliana Cândido disse...

Bom se o proximo a ser eleito pensasse um terço do que esta escrito no texto acima, poderíamos, com certeza , dizer que o Brasil iria progredir,mas o que esperar, de um candidato eleito, se nós eleitores não sabemos votar?!!!
É minha amiga nós eleitores infelizmente não sabemos voltar, dá pra tirar uma ideia, pois, elegemos como deputado federal, um humorista, que nem sabe o que ira fazer com o seu mandato ;
Espero que Deus tenha piedade de nós, e faça pelos menos iluminar, a mente de muitos eleitores.

Beijos fraternos amiga
e uma boa noite!

Júlia disse...

Obrigada pela visitinha lá no Mamãe Dizia, adorei o texto.
Beijo.

Any disse...

Você naõ é a única! o/
Obrigada!
beijos

Pirulita Doce disse...

Ah vdd! Todos queriam ke os candidatos realmente fizessem algo por esse País, mais affz eles n fazem ndz e n pensam ndz de util!

Larissa disse...

Se o próximo presidente pensasse só no respeito, já estaria de bom tamanho. Mas prefiro não me meter, por mais que eu devesse. Odeio política, haha.

Beijo meu.

Amanda Viagi disse...

Eu simplesmente adorei, já adoorava esse blog, com tudo que voce escreve, desse jeito tão lindinho aaah me encanto com seu blog *--*

As vezes eu acho que adolecentes consientes no poder poderiam fazer mais pelo Brasil do que muitos candidatos prestes a ser eleitos.
Também queria qe o proximo presidente pensasse assim, mas acho qe não vai ser muito possivel.