Para Marina era assim, estava com febre um sapato novo resolvia. Brigas com o namorado? Nada como uma blusa descolada que ela queria tanto, para resolver. Sua mãe brigou com ela sem motivo, é só dar o notbook novo que ela tanto queria que estava tudo resolvido.
Para ela não importava o que sentia e nem o que ela realmente era. Só se importava com o que tinha, o "ser" em seu dicionário era uma coisa fútil. Ela dizia que no mundo onde vivemos "quem não tem, não é ninguem". E com essa ideia tinha seus amigos. Mais esses só serviam de platéia para ela se gabar das coisas que tinha ganho, mais quando passava por dificudades ela estava sozinha. Mais para ela, o convivio com eles serviria como trampulim para a alta sociedade. Então não se importava se a amizade deles era movida por interesse.
Em pleno século XXI Marina não é a única a pensar assim, no ter para ser. É só ir em um Shopping Center que irá ver que não estou escrevendo bobagem, por lá, passam pessoas que estão mesmo afim de afogar suas mágoas com compras desnecessárias. Compram só pelo prazer de comprar, pois para elas, são aquilo que vestem, que calçam e que usam.
A verdade é que vivemos em uma sociedade que, digamos, obrigam as pessoas a consumir o maior número de coisas, pois assim, movimentará o mercado, aumentará o PIB e assim deixaremos o título de país subdesenvolvido de lado. Mais as pessoas tem que se conscientizar que não é assim que as coisas funcionam.
Hoje sei que a facilidade de comprar as coisas é imensa, podemos dividir em zilhões de prestações, no cartão, pagar depois de um monte de dias. Isso seria bom, para usarmos com compras necessárias. E é bom deixar claro que se abusarmos demais, conta chegará super faturada, e o que antes era um prazer, pode virar uma dor de cabeça daquelas beem fortes. Precisamos de um remédio para essa doença.
Mais por ser jovem, posso deixar meu discurso politicamente correto e dizer que é um absurdo o que fazem conosco. Porque me diz quem não quer ter aquela calça super linda que está na vitrine daquela loja que você sabe que é cara mais adora. Quem não quer ter aquele celular de ultima geração? E o livro super lançamento daquele escritor que você ama? E quando ligamos a televisão, só vimos a propaganda dos desgramados, fazendo só aumentar o nosso interesse.
Se eu for falar por mim, posso dizer que sou uma consumista consciente, e maníaca por sapatos: tenho vários, mais sapato para mim nunca é demais. Consumo sim, como uma adolecente qualquer mais sei quando a hora de parar e quais coisas não é tão necessario comprar.
Mais é bom lembrar que nunca cosumo roupas, sapatos, bolsas e etc. para ser alguem que eu sei que não sou. Não quero ter para ser.
Mais me respondam como não querer comprar aquilo que foi feito especialmente para você, e que ainda está a venda, por preço de banana?

7 Comentários

Juliana Camargo disse...

digamos a mais pura realidade!
o mundo leva a todos serem consumistas propagandas, essa necessidade do ter do poder!
msm que praticamente nao tenha o que comer sempre se da umjeito de comprar aquela calça tao desejada da vitrini!
assumo ser uma consusmista e das boas ainda haha, mais se for para e ver tudo a nossa volta nos torna assim!

adorei seu blog
vc escreve muito bem!

estou te seguindo :*

ticoético disse...

Moça,cada vez mais encantado com sua veia crítica,pareceu uma colunista de jornal ou revista falando aqui sobre a sua visão do consumismo exagerado,gostei muito e concordo quando diz que a mídia contribui bastante pra esse quadro,enfim,muito belo texto.
abraço !

Tania Girl disse...

É a realidade, infelizmente...
acho que eu também sou uma consumista consciente, também não consumo para ser...(eu acho rsrrrsrs).
legal o post!!
bjocas

Sarah' disse...

Dito e feito, vivemos em uma sociedade a qual consumir é muito mais importante do que ser alguem na vida.
status é a palavra chave e se você não tiver pode ser considerado excluido da sociedade.
fora as facilidades de compra, que ai atrai muito mais o consumidor,

mas muito mais importante que ter algo para mostrar a alguem que tem é o caráter que realmente mostra o que somos!

bjs linda.

Mayla disse...

Hoje quase ninguem compra pq precisa mais sim pq quer ter "mais coisas que o outros".
Adorei o post!
bjos
mah

Babih Xavier disse...

AAh temos que ser amados pelo que somos e naum pelo que temos... embora eu naum resista a roupas novas ahuahuahu

~*rafasonehara disse...

eu tenho uma amiga assim
quando ela fica nervosa compra feito uma loucaa
o armario dela é de dar inveja tbm haha
mais eu sou bem consciente não gasto o que eu não tenhoo...
Mais meu sonhoo é ter um cartão sem limite só pra roupa, bolsa, sapato e make *-----*
Beijoooos