Passei esse Carnaval de uma forma bem singular. Longe de qualquer badalação e festas, passei na praia em total contato com o mar e com a areia. Em contra partida, totalmente desligada do mundo, sem televisão, Internet e celular. E pode ser difícil de acreditar, mas existem pessoas que vivem sempre assim, e não reclamam. Eu também achei legal ficar em off por um tempo, mais na quarta-feira de cinzas já estava pirando, pelo simples fato de passar tanto tempo sem absorver informações, e percebi o quanto que isso é importante para mim, coisa que antes não sabia.
Entretanto, longe de casa e longe da minha realidade, eu fui refletindo os meus passos. E vi que uns foram essenciais e outros deveriam sem apagados. E caminhando pela a areia, vi que minhas pegadas aos poucos iam sendo apagadas pelo mar, e aquilo era desconfortável, pois eu tive a virtude de perceber que todos os passos são necessários, mesmo que eles não estejam no caminho certo. Mas o mar é maravilhoso, e era tão bom o simples fato de ficar observando a sua majestade. Ah, também percebi que o mar pode ser um grande espelho. Sim, um espelho. Pois, nós nos comportamos como suas ondas, sempre indo e voltando. E mesmo sem saber até onde vão chegar, elas vão até onde puderem.
E isso foi uma lição para mim. Porque não importa até onde eu vou conseguir chegar, mas eu vou ir até onde eu tiver forças para ir. Sem ter medo das dificuldades, pois uma onda pode ser forte o suficiente para levar todos que estiverem em seu caminho. Eu só preciso de mais um pouco da determinação delas. E agora eu consigo entender o que mais profundo existe em minha alma, porque eu aprendi com a natureza o que a vida cansou de ensinar. E o primeiro passo que vou dar é terminar tudo que começo, a terminar os textos que começo, a terminar assuntos pendentes. Porque não posso ter medo do fim, ele é necessário. E nem sempre será doloroso. Pois mesmo que nós não possamos ver, até o mar tem um fim. 

8 Comentários

Vanessa disse...

O mar a praia mora perto deles mas eles são uma ótima filosofia faz você pensar e repensar sobre a sua vida.
Carnaval na minha cidade choveu tanto foi até legalzinho mas um tanto chocho.
Termina as coisas que começamos, amelhor parte de tudo isso é quando precebemos qeu chegamos ao fim, vale muito a pena.
Hum, tudo tem que ter o fim mas o mar não tem!

ticoético disse...

Querida,teu texto soa como essas reflexões que vemos por aí e que,muitas vezez,eu faço e ponho no blog.O mar por si,já é uma riqueza de ensinamentos,há os peixes,pescadores,as ondas e o próprio vento que faz dele o que bem quer,eu tenho em conta especial muitas coisas na vida,uma delas é o mar,que por sua amplidão me instiga a querer sempre mais e mais,ele também inspira muita gente,Dorival Caymmi cantava que "é doce morrer no mar",Pessoa falou "Navegar é preciso" acho que estas observações vêm de muito antes e por sua grandeza o mar nos permite este enorme poder de observação,lindo o teu texto.

abraço !

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

E o interessante é que o próprio "im " do mar é um começo, basta que se mude o ponto de vista. É sempre bom aproveitar essas oportunidades de crescimento e reflexão que a vida nos dá, heim? Ainda rendeu um texto muito bom.

E confesso que senti um pouco de inveja do teu feriadão. Tudo o que eu mais procurei - e menos encontrei - nesses dias foi paz e sossego.

Mas tá valendo :p

Mirian Brandão disse...

é linda, agora você percebeu o que eu já tinha percebido a um tempo, o mar é maravilhoso, soberano e único. amei [ você sabe que eu amo tudo o que você escreve]. beijo amiga ;*

Fabi Celso disse...

muito lindo o texto, adorei a sua reflexão!
bjs

Bell Souza disse...

É bom correr, sabia? Se esconder do barulho, dessa agonia que é o carnaval. fez muito bem.

Kaline disse...

Oi Thaíse!!!! *-*

Lindo texto como sempre!! Tem selinho pra vc no meu blog!!

beijos

Dayane Pereira disse...

Acho maravilhoso ficar um tempo longe de tudo assim! Serviu para te fazer refletir;
Mas não sei não.. é difícil ficar longe de informação