Minha vida estava chegando ao fim. Eu tinha certeza, pois as únicas pessoas que eu via eram médicos e enfermeiras, meu coração não batia mais sozinho. E nas paredes do hospital, os tons de branco e azul, me lembrava do que talvez estivesse me esperando. Não tinha fome, me nutria apenas de calmaria, da sala que eu estava. Meu estado era considerado grave, pois ainda havia pedaços da bala que estava alojada em meu peito.
Quando a enfermeira foi dar o meu remédio entrei em sono profundo e a ultima coisa que ouvi foi o apito do aparelho que o meu coração estava ligado. Quando acordei estava andando sobre uma nuvem, era magnifico, e ao longe avistei um anjo de cabelos louros e encaracolados, aproximou-se e veio trazer a mensagem que a hora do meu julgamento estava próxima. Amedrontada segui o tal anjo para o grande salão, já estava próximo e do salão saia um barulho estrondoso. Uma tremenda confusão estava lá, ela se deu porque o tal Osama Bin Laden, que havia morrido pouco tempo antes de mim, tinha arrependido de todos os seus pecados e Deus misericordioso teve compaixão por Osama e o aceitou no Céu. Mais o problema é que a associação dos Americanos e Europeus se revoltaram e alegaram que era melhor morar no inferno do que te-lo como vizinho.Tinham medo de que ele estivesse com algum explosivo embaixo da roupa.
Jesus sem saber o que fazer, resolveu cancelar todos os julgamentos do dia, deixou São Pedro com a missão de dar um jeito em nós, mais Pedro havia dividido com um dos anjos uma buchada de bode daquelas, e tinha ficado com uma tremenda dor de barriga, então, tratou de encarregar o anjo para nos abrigar, e Pedro saiu gritando qual era a sua vontade, "Vou botar esses danados para fora!". E assim o anjo fez conosco, decidiu que nos mandaria de volta, afinal tambem queria is no banheiro, apertado, já fazendo nas calças, nos mandou como um bomba do Osama, num estouro e sumimos.
Fui retomando aos poucos a consiencia, percebi que tinha acordado em uma sala, cheia de livros e quadros, parecia ser obras de artes valiosas, numa visão mais ampla, percebi que era um escritório, na mesa tinha um nome, que devia ser do dono da sala, estava escrito Dr. Fernando Albuquerque, e logo abaixo advogado, pensei comigo: "Aquele anjo filho de uma mãe, me mandou para o lugar errado". Quando ia me levantar para ir embora telefone tocou, era a voz de uma mulher, a secretária do Dr. Fernando, ele perguntou se eu já tinha assinado os papéis que ela deixara em cima da mesa, eu expliquei que não era o Dr. e que eu já estava de saída, imediatamente ela entrou na sala histérica, gritando que já estava farta das minhas crises de identidade, e que já tinha tempo suficiente de ter me recuperado da pancada que levara na cabeça. Perguntei se além de louca ela estava cega, se não estava enxergando que eu era uma garota perdida naquele escritório, ela enfurecida me puxou pelo braço até um espelho e me perguntou aonde estava a menina perdida.
Fiquei sem ação e derrepente em um grito desesperado desejei está em meu pior pesadelo, não queria de forma alguma acreditar que o que eu via no espelho fosse realmente eu. Apesar de ter desejado vir na outra vida homem, logo após de uma cólica infernal, nunca pensei que viria desse jeito. Via uma imagem de um homem, com poucos cabelos, bochechudo, com um nariz de batata e com dentes aparentemente de chapas, ao olhar para baixo apesar de vestir um terno valentino preto de nº 54 que não fechava os botões, de tão apertado. Entrei em desespero, cherei feito uma menina, e a secretária percebeu que no meu eu interior realmente tinha uma menina perdida naquele corpo espaçoso. Ela me levou para casa.
Durante o caminho tirei um cochilo, pensando que iria despertar desse pesadelo, mais acordei com um pudle fedorento lambendo o meu rosto, meu não, isso não sou eu! Ao olhar no espelho vi aquela imagem horripilante daquele homem que não tinha coragem nem de fazer a barba. Estava em seu quarto, sobre a cama de casal que estava dormindo tinha uma mala preta lembrei de ter a visto no escritório, não resistir e a abri, nela estava muitos papéis de divorcios, trabalhava para separar os casais até, então, eram apaixonados.
Confusa, fui ao banheiro, decidi que ia tomar banho, agradeci por ele ser gordo, só assim não tinha que ver o que tinha embaixo dela, quando abri a porta quase caiu para trás, a decoração do banheiro era toda do Botafogo, a torneira era uma estrela solitária e a banheira era uma bola nas cores branco e preto. Pensei: " Esse desgraçado ainda é botafoguense, ah anjinho desgraçado!". Saí do banheiro como se tivesse vendo assobração, quando retomei a realidade, vi que tinha um computador no quarto e estava ligado, como estava com tempo que não navegava na internet, não resistir. No PC tinha um documento de texto com o titulo "minha vida", abri e pude ler a mais pura autobiográfia do Dr. Fernando, fiquei chocada da forma como ele via a própria vida, achava que era a pior pessoa do mundo, dá até para entender que não era fácil para ele se olhar no espelho e ficar bem.
Eram um advogado prestes a falir, nunca foi casado, e tinha perdido a mãe, o pai e o único irmão em um acidente em que só ele sobreviveu. Achava que como era frustado no amor, queria que todos fossem também, por isso que ajudava os casais a separarem o mais rápido possivel. Queria por um fim a sua vida. Diante disso não pude me sensibilizar, parei de chama-lo de desgraçado e vi que Deus tinha dado a ele e a mim uma segunda chance, pois eu havia perdido a vida de uma forma muito injusta. Parei de xingar o pobre do anjo que me mandou para esse corpo, pois, afinal ele precisava da minha alma.
Então, não retardei em fazer as mudanças necessárias, naquele corpo que agora me pertencia, a primeira coisa que fiz foi ir ao salão de beleza, fiz tudo do que tinha direito, unha, barba, cabelo e ainda uma limpeza de pele. Fui ao escritório com um terno rosa, maquiado e cheio de glamour, não dexei nenhum casal mais se separar, e não deu outra, fui a falencia. Mais mudei de profissão, me tornei drag queen, já que o Dr. não gostava muito de mulher, resolvi fazer o que ele nunca teve coragem, virei a rainha das noites e com o meu jeito menina de ser, puder aproveitar a minha segunda chance e tornar aquele homem tão feio e amargo em uma pessoa feliz. E pude, pelo menos em parte, voltar a ser mulher.

5 Comentários

Mariah disse...

ótimo texto :)
boa sorte!

Natalia Opazo disse...

gostei do texto, ficou engraçado!
boa sorte!

beijos da Naat!:*

http://natalia-opazo.blogspot.com
http://www.limaocom-acucar.blogspot.com

Natalia Opazo disse...

você tem razão, é muito assustador pensar que o mundo vai acabar, mas um consolo é que provavelmente eu nem vou estar aqui quando isso acontecer.

beijos da Naat!:*

http://natalia-opazo.blogspot.com
http://www.limaocom-acucar.blogspot.com

Sunshine & Baba disse...

very nice blog. você diz que a partir do seu coração. Obrigado
Tenha um bom dia

ticoético disse...

hsuahsuahuahuash,uma bela história,começa de um jeito que e termina totalmente diferente,um belo e bom humor tens,mas botafoguense foi demais =/ ,hehehe,enfim,belo texto.
abraço !